Inventaram um jeito criativo de combater as suásticas que aparecem nas ruas de Berlim

Incomodado com as suásticas que hora ou outra aparecem pela cidade de Berlim, capital alemã, o artista Ibo Amari criou a campanha “Paintback” para encobrir os símbolos de ódio com grafite.

Ibo Omari desenvolve projetos culturais, como oficinas de Hip Hop e grafite, junto com outros artistas e voluntários da cidade por meio da Associação Criativa “Die kulturellen Erben” (The Cultural Heirs, ou algo como os Herdeiros Culturais).

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (6)

Crédito: Legacy BLN – Graffiti Culture & Art Tools

Nessa campanha em especial, ele encoraja os jovens a olharem além das suásticas em suas localidades e pintar com criatividade sobre elas – mas sempre com a permissão dos donos das propriedades.

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (1)

Crédito: p3nyheter

“Era importante incentivar os jovens à ação e encorajá-los a ter responsabilidade. Para que então eles não ignorassem tais símbolos de ódio,” explicou Omari a Reuters.

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (2)

Crédito: legacystorebln

O artista que cresceu na Alemanha, explicou que esses símbolos de ódio ofendem toda a comunidade.

Então a melhor forma de responder a isso foi pintar as suásticas com arte, como flores e animais.

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (3)

Crédito: joshua_jesse

Início do Projeto Paintback

Omari é dono de uma loja de itens para grafite em Berlim e começou seu projeto em 2015 por um motivo que o deixou muito chocado.

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (10)

Crédito: legacystorebln

“Eu senti que estava no filme errado”, disse ele ao Reuters.

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (4)

Crédito: wboell

Na época, um homem entrou em sua loja para comprar tinta. O motivo: cobrir uma suástica no parque onde brincava com o filho.

O artista decidiu ele mesmo pintar por cima do símbolo o desenho de um mosquito.

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (5)

Crédito: nicole_bln

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (9)

Crédito: legacystorebln

Duas semanas depois, amigos e vizinhos começaram a alertar sobre mais suásticas. Então o projeto começou.

Outros artistas se juntaram ao movimento e o Projeto Paintback se fortaleceu.

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (12)

Crédito: flaneursmag

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (7)

Crédito: mayrafelicio_

Senhora alemã pioneira em cobrir suásticas há mais de 30 anos

Omari credita o pioneirismo ao que ele chama de Paintback à professora aposentada Irmela Schramm, de 72 anos.

Há mais de 30 anos ela faz a ação de cobrir suásticas e arrancar adesivos com mensagens racistas na cidade de Berlim.

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback

“Eu tenho uma forte apreciação pela dignidade humana”, explicou ela ao The New York Times. “Quando eu vejo a dignidade de alguém sendo ferida, eu sinto como se fosse eu mesma.”

Artistas cobrem suásticas com grafite com o Projeto Paintback (8)

Crédito: Legacy BLN – Graffiti Culture & Art Tools

O que você achou da iniciativa? Compartilhe com os seus amigos!

Fonte: boredpanda.comreuters.comhuffpostbrasil.com e nytimes.com.