A 2ª Guerra Mundial foi um grande conflito militar global que durou entre os anos de 1939 a 1945, e envolveu a maioria das nações do mundo, incluindo todas as grandes potências mundiais. Chegando a ter 100 milhões de militares mobilizados, o conflito foi o maior e mais significativo confronto armado da história. A guerra serviu como terreno fértil para a evolução de estruturas de segurança, inteligência e tecnologia.

Mesmo que vocês saibam muitas coisas sobre a Segunda Guerra Mundial, ainda existem vários e vários fatos curiosos sobre essa guera que muitas pessoas não conhecem, mas a Fatos Ocultos, vai mostrar alguns desses fatos. Então, caros amigos, confiram agora a nossa matéria com os 8 fatos arrepiantes sobre a Segunda Guerra Mundial que você não sabia:

1 – William Hitler

É claro que ninguém esquecerá quem foi Adolf Hitler, mas pouco se sabe sobre o seu sobrinho, William Hitler, que serviu na Marinha dos EUA durante a Segunda Guerra Mundial. Filho do irmão de Hitler, Alois Hitler, William nasceu em Liverpool, na Inglaterra, se mudou para a Alemanha e depois emigrou para os EUA.

Em 1933, ele tentou se beneficiar da ascensão do seu tio ao poder. Hitler arrumou um emprego para seu sobrinho em Reichs Kreditbank, em Berlim. Tempos depois, William trabalhou em uma fábrica de automóveis, e depois como vendedor de carros. Insatisfeito com seu emprego, William escreveu para Hitler para pedir um trabalho melhor, e chegou a fazer ameaças e chantagens a Hitler, dizendo que iria contar para a imprensa histórias embaraçosas de sua família, inclusive que seu avô era judaico.

2 – Hitler e o uso de drogas

Já que estamos falando de Hitler, não é nenhuma surpresa para vocês que Hitler usava drogas, certo? O médico pessoal de Hitler era o Dr. Theodor Morell, que foi nomeado em 1936. Morell estava ao lado de Hitler até o final da guerra, apesar das tentativas de outros médicos para intervir. Hitler usou muitas drogas diferentes, como anfetaminas, metanfetaminas, morfina e cocaína. Morell administrava as injeções diárias de Hitler, e prescrevia até 28 doses por dia. Hitler confiava tanto em Morell que o recomendou para seus amigos íntimos, como Goebbels e Goering.

3 – As crenças nazistas

Um fato verdadeiramente interessante sobre os nazistas eram seus rituais e crenças ocultas. O Partido Nazista supostamente veio de vários grupos ocultos que surgiram no final do século 19, como uma reação ao materialismo avançado e tecnologia da época. Eles falavam muito da vinda de um novo Messias que salvaria a Alemanha, e Hitler desenvolveu uma ideia de que talvez ele fosse o escolhido para salvar o povo alemão.

Os partidos políticos criados depois da derrota na Primeira Guerra Mundial combinaram sentimentos nacionalistas e práticas ocultistas para forjar uma imagem de um povo alemão superior. Havia muitos rituais estranhos, e na internet pode-se encontrar muitos vídeos falando sobre tais rituais.

4 – O soldado americano mais jovem da guerra

Acreditem vocês ou não, mas Calvin Graham tinha apenas 12 anos de idade quando se alistou na Marinha dos EUA. Ele foi premiado com uma estrela de bronze e um coração roxo antes que a Marinha descobrisse quantos eles ele realmente tinha. É claro que se olharmos a foto dele, fica difícil dizer quantos anos ele tinha ou parecia ter, mas é realmente difícil de acreditar que uma criança de 12 anos de idade poderia passar por um adulto. De algum jeito ele sobreviveu a guerra.

5 – Al Capone e seu carro

Após o ataque de Pearl Harbor, o presidente Roosevelt decidiu que precisava de um carro à prova de balas. Porém, a regulamentação governamental proibiu gastar US $ 750 para comprar um carro, e o único jeito foi usar a limusine de Al Capone, que tinha sido apreendida depois dele ser preso.

A máquina de guerra dos EUA estava bem encaminhada com muitas empresas parando as operações para economizar aço e outras matérias-primas. Roosevelt, dentre tantas declarações irônicas na época, disse o seguinte: “Espero que o Sr. Capone não se importe de usar o seu carro”.

6 – Hiroo Onoda

Os japoneses eram lutadores ferozes e a rendição era uma opção que era considerada uma desonra na cultura japonesa. Há muitas fotos e vídeos de civis, incluindo mulheres e crianças, se jogando de penhascos para não ter de se render às tropas americanas.

Uma das histórias mais famosas é a de Hiroo Onoda, um oficial da inteligência imperial do exército japonês que lutou na Segunda Guerra Mundial e se recusou a se render em 1945. Por quase 30 anos, ele manteve sua posição nas Filipinas, pronta para lutar. Seu ex-comandante teve de viajar do Japão para lá para dar ordem pessoalmente que o livrava da sua missão, em 1974.

7 – Experiências nazistas

Muitos médicos bombardearam os testículos de homens e os ovários de mulheres com raios X para ver o impacto de diferente doses sobre a esterilidade. Outros médicos quebravam ossos repetidamente para ver quantas vezes o osso podia se curar. Eles atingiram a cabeça das pessoas com martelos para ver o quanto seus crânios poderiam suportar. Outros experimentos foram conduzidos para determinar os efeitos da pressão atmosférica sobre o corpo humano. Era injetadas diferentes drogas e doenças nos prisioneiros, além dos membros amputados e músculos cortados para experimentos de transplante.

O Dr. Josef Mengele usou cerca de 3.000 gêmeos para suas experiências genéticas agonizantes. Poucos sobreviveram, e entre seus experimentos incluíam retirar o globo de um gêmeo e prendê-lo na parta de trás da cabeça de outro gêmeo, coisas realmente bizarras. Os cidadãos alemães também não estavam imunes à morte e torura. Em 1939, os nazistas iniciaram um programa de “eutanásia” no qual 80.000 a 100.000 alemães que eram deficientes mentais ou loucos, foram assassinados.

8 – Colaboradores

Depois da guerra, os cidadãos dos países ocupados nunca se esqueceram daqueles que colaboraram com o inimigo. Na França, por exemplo, a ocupação levou a resistência, uma das operações mais organizadas e eficientes da história. E não havia piedade para aqueles que contribuíram com os inimigos.

Na verdade, as pessoas em toda a Europa ocupada colaboraram com os alemães. Depois de serem libertados, alguns moradores se vingavam dos colaboradores, os espancando, atirando ou simplesmente raspando a cabeça das traidoras. As mulheres que tiveram relações com soldados oficiais alemães, especialmente na França e Holanda, foram humilhadas publicamente. Para os homens, era algo mais extremo, e suas vidas não eram poupadas.

E aí, caros amigos, já sabiam de todos esses fatos ocultos sobre a Segunda Guerra Mundial? Comentem!