Depois de revelar bases secretas dos EUA, app Strava vai rever políticas de segurança e privacidade

Um recurso criado dentro do aplicativo de corridas Strava, fez com que bases militares secretas dos Estados Unidos fossem reveladas em zonas de conflito. A informação deixou o governo estadunidense preocupado, uma vez que esses dados põe em risco a presença do país em alguns lugares como na Síria, Afeganistão e Iraque.

Agora, enquanto o pentágono está fazendo uma revisão completa das regras impostas ao militares no uso de aplicativos e dispositivos conectados, o próprio aplicativo Strava comunicou que irá fazer uma revisão de todas as suas políticas de privacidade.

O CEO do Strava, James Quarles, divulgou uma carta na qual defende que irá rever as regras do app:

Nós vamos analisar alguns recursos que foram originalmente projetados para motivação e inspiração de atletas para garantir que eles não possam ser comprometidos por pessoas com má intenção

Ele também garantiu que as novas regras terão mais ênfase na privacidade e na segurança dos dados dos usuários. Outra medida que Quarles defende é a simplificação de recursos dentro do app, além de “trabalhar com militares e funcionários do governo para tratar dados potencialmente sensíveis”.

No entanto, apesar dessa manifestação pública, o recurso de mapas ainda continua ativo dentro do aplicativo, o que ainda pode ser um perigo para os soldados estadunidenses.