A maior pirâmide do mundo ficou escondida por séculos e não é egípcia

Todo mundo sabe que os egípcios eram construtores exímios e que deixaram verdadeiras obras de ar em pirâmides, mas, ao que tudo indica, a maior pirâmide do mundo não é obra deles.

Localizada no México, na cidade de Puebla, a Pirâmide de Tepanapa ou de Cholula, como é chamada; está abaixo da terra, encoberta por uma colina com uma igreja no topo.

Conforme especialistas, a maior pirâmide do mundo tem quase o dobro do volume da Pirâmide de Gizé, no Egito, e tem uma base quase quatro vezes maior.

A maior pirâmide do mundo x Gizé

Aliás é exatamente por seu volume que ela ganhou o título de maior pirâmide do mundo. Já que perde em altura para a Pirâmide de Gizé: enquanto a egípcia tem 138,8 metros de altura, a mexicana tem 66 metros.

Ela também não se parece em nada com a pirâmides do outro lado do mundo. Os estudiosos garantem que a estrutura da Pirâmide de Tepanapa é bem parecida com a da Pirâmide do Sol, também mexicana e considerada a terceira maior do mundo.

História da Pirâmide de Tepanapa

Até o momento, os especialistas que estudam o local afirmam que a maior pirâmide do mundo existe há, pelo menos, 2.300 anos e foi abandonada entre os séculos 7 e 8, embora não se saiba dizer ainda porquê.

Também não existem informações exatas sobre quem a construiu, nem mesmo que as pessoas da época tinha consciência de que a argila usada na construções favoreceria o crescimento de plantas sobre a pirâmide. Aliás, é exatamente essa vegetação que favorecida pelo material usado no monumento, acabou o encobrindo completamente com o passar do tempo.

Só para que você tenha ideia do qual misteriosa é a maior pirâmide do mundo, nem mesmo o espanhol Hernán Cortés, responsável pela construção do Império Asteca de Moctezuma II, por volta do ano de 1519; notou que a pirâmide escondida ali durante suas andanças pela região.

Cultos e sacrifícios

A maior pirâmide do mundo, aliás, só foi descoberta mesmo em 1910, pelos locais. De lá para cá, os estudiosos já encontraram mais de 400 corpos enterrados no monumento e ao seu redor.

Para os especialistas, esse fato indica a importância do local como centro de culto e sacrifícios na época em que a obra foi edificada.

Interessante, não?

Fonte: Revista GalileuAcredite ou não